Saudações!

Olá! Sejam Bem Vind@s!

Á toda as pessoa que por aqui passá
Deixo marcad'a minh'alegria
De podê compartiá e mostrá
As coisa minha do dia-a-dia.
Quero deixá registrado
Os meu desejo de bom presságio
E desejá muita
Força e Felicidade e Arte.
Con cariño,
Inté...






domingo, 27 de junho de 2010

"Aqui. A Verdade na Terra Moral"




"Aqui não deixa eu falar
Eu nem sequer posso ver
Queria tanto narrar
Nossa história pra você
Amando e tão dividida
Tomo decisão na vida
Pra você nos conhecer.

Estamos em Acolá
Escapamos por Ali
Pois Aqui quer nos matar
O que nos forçou fugir
Nossa história a revelar
A quem quiser desvendar
Convidamos para vir.


Abandonei um amor
Para salvar um maior
Isso me causou a dor
Mas hoje estamos melhor
Nossa história verdadeira
Pra você conto inteira
Até que a saiba de cor."
Péricles Anarcos

quinta-feira, 24 de junho de 2010

"Aqui. A Verdade na Terra Moral"

Uma Iguana, uma Porca, um Carrapato e uma Cega empregada que trabalha de madugada. Um Corvo, um Rato, um bichinho exótico pequenino e uma Fonte. Espetáculo teatral grotesco repleto de moralidades que oculta um grande mistério.
Dramaturgia de Péricles Anarcos. Concepção cênica dos Grupos Fúria, Flor e Espinho..
Elenco com Anderson Lima, Katiuska Azambuja, Luis Cláudio Diashueda, Péricles Anarcos e Tatiane Queiroz.
Dias 29 e 30 de junho e 01 de julho, às 20h no Teatro Glauce Rocha. Entrada Franca.

domingo, 13 de junho de 2010

Período de Simone Weil


Lá vem coração
Lá vem olhos (que enxergam?)
Lá vem pernas
Lá vem rins (ou rim!)
Lá vem uma pelezinha frágil...
Lá vem litros e litros de
Sangue, circulando... circulando... sempre,
Há há há há há há há...
Lá vem uma pessoa!

Inundação


Cidadãos assinando papéis... papéis... papéis...

Como dizia Cecília; e os grandes anões, honrados senhores,

Digníssimos patifes berram baixinho:

Pafeeeel!! Tchic, tchic, tchic, tchic! Pafeeeel!! Tchic, tchic, tchic, tchic! PAAFEEEEELL!!!

Anunciando o grandissísimo nada, o poço sem fundo, os numerosos papéis

E o terrível fel que empesteia todos os lugares,

E nos obrigam à engolir em doses cavalares

Todos os dias.

domingo, 30 de maio de 2010

Nuvens

As nuvens de teus olhos
Me acercam, me surgem.
Imperiosas, me envolvem,
Me cativam
Retumbantes e densas...
As nuvens de teus olhos
Mostram-me as flores do mundo.
As nuvens de teus olhos
Plantam jardins em mim
Jardins...orvalhados.