Saudações!

Olá! Sejam Bem Vind@s!

Á toda as pessoa que por aqui passá
Deixo marcad'a minh'alegria
De podê compartiá e mostrá
As coisa minha do dia-a-dia.
Quero deixá registrado
Os meu desejo de bom presságio
E desejá muita
Força e Felicidade e Arte.
Con cariño,
Inté...






terça-feira, 1 de março de 2011

Flor e Espinho Teatro oferece Oficina

Berço de Ciranda
Carga Horária total: 20h

Carga Horária Semanal: 4h

Duração: 15/03 a 15/04/11

Faixa-etária:

07 a 12 anos: 09h as 11h

13 a 16 anos: 14h as 16h

Data: terça e sexta-feira

Ementa:

Expressão corporal: Noções de consciência corporal, desinibição, concentração da atenção;

Voz e Dicção: Noções de consciência vocal, entonação, projeção, corpo das palavras;

Respiração: Noções de consciência respiratória, respiração pulmonar, diafragmática, costal e intercostal;

Imaginação: Estímulo com leituras, objetos e histórias imaginárias;

Interpretação: Leitura, análise de textos e prática cênica.

Vagas: 10

Investimento: R$100,00 a vista ou 2x de R$75,00.

Local: Templo do Flor e Espinho Teatro, localizado à

R: Parapuã, 276. Jóckey Club.

Maiores informações:

(55)(67)9124-2986/ (55)(67)9215-2099/ (55)(67)3342-0828


"O teatro é a poesia que sai do livro e se faz humana"

Frederico García Lorca

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Domingo do Forno

Em abraços dilacerantes, mordentes
Se constrói o domingo de saudades.
A luz se faz em sulcos alucinantes e
A sombra faminta de ti
Como cão de Alighieri
Em silêncio me macera e mastiga.
Faz...
O cheiro de café e entranhas
Em trânsito de metrópole
Faz...
O domingo quente
Apertado em língua embebida
Desperta e viva e incessante.
Faz...
Ancestral e tenaz
A necessidade do calor do brilho
Dos olhos miúdos espreitando
As frenéticas moléculas sedentas
Por sede e sódio
Ebulição e vapor
Sublimação e fenômeno químico.
Faz...
O domingo em piscina de ímã
Em cachoeira de estalos
Em oceano pacífico de embates.
Faz...
A limpeza do anseio
O anseio da fusão
De meu ser que és tu
E mais nada.
Faz...
O alcance do nirvana
A respiração una
O deleite e água nos poros
Faz...
O exercício pesado
De repelir o próton
O elétron em domingo.

Para quê?

Gostaria de saber quem é Luis Cláudio.
Nome tão singular em Campo de 724.524 habitantes.
Nome tão excêntrico não exigente de um sobre.
Ora, deixa disso...
Não se prenda a detalhes!
De tolos os cartórios exigem os próprios de mãe e pai.
Aviste a fotografia e sabe-lo-á.
Óh, visão abençoada, cultura de Big Brother,
Sentido perfeito de Sherlock...
Luis Cláudio, quem és?
És dois nomes por Naiane,
Para quem não vê,
Não ouve e não fala.
És dois substantivos por um Estado e
Um complemento...
Aquele! Luis Cláudio... Aquele.
Em dia de Natal.

I Sarau no Flor e Espinho Teatro

Quarta-feira, 01 de Setembro de 2010


No bamba da corda

A hora é agora.

Na voz e violão

A malemolência do som.

Bota pra fazer a Performance

Que pensar

A hora é agora

Não tem que esperar.

Se achegue e ponha o Poi pra girar,

Com as claves faça

Desenhos no ar.

No monovaral

Conheça as poesias,

Recite o graffitti

E O ciclo da roda,

O negro e o índio

Nas artes das obras.

Na mala pode colar

A figura que mais apreciar,

Se quiser imitar a escultura está lá,

A poesia aguarda você a criar.

Apenas permita a vontade d’ação

E não se limite à intenção

Bota pr’agora a sua percepção.

Vou-me já sem mais delonga,

Obrigada a você que

Ativamente do Sarau participou e

Também agradeço ao que

Guardado ficou.


O I Sarau no Flor e Espinho Teatro contou com várias intervenções das diferentes Artes.

As Artes Plásticas esteve representada pelos artistas Gheva, Anédio “Japão” e Anderson Lima. Na voz e violão esteve presente Carol Leite, Lílian Maira , Caio “Fita”e Ana Cabral. Drielly e Anderson Lima recitaram poemas. No graffitti compareceram Giu e Jéssica. A performance contou com Katiuska Azambuja, Gheva e Fábio Maurício, sendo as fotos de Júlia Prado. Representando o circo na corda bamba esteve Raoni, Hugo, Luis Cláudio Diashueda, e Mauro Guimarães entre outros participantes. A protagonista do poi foi Drielly. Raoni e Anderson Lima trocaram claves. O monociclo marcou presença com alguns arriscando as primeiras pedaladas. Houve varal de poesias com espaço para quem quisesse criar as suas, exposição de esculturas, projeção de fotos do Espetáculo “Aqui. A Verdade na Terra Moral” e colagem de figuras em uma pequena mala.

O evento teve a participação aproximada de 100 pessoas, se iniciou as 19h com término as 03:00 com o pessoal da saideira. E assim foi construído o I Sarau no Flor e Espinho Teatro, com pretensão de ocorrer uma vez por mês.

domingo, 27 de junho de 2010

"Aqui. A Verdade na Terra Moral"




"Aqui não deixa eu falar
Eu nem sequer posso ver
Queria tanto narrar
Nossa história pra você
Amando e tão dividida
Tomo decisão na vida
Pra você nos conhecer.

Estamos em Acolá
Escapamos por Ali
Pois Aqui quer nos matar
O que nos forçou fugir
Nossa história a revelar
A quem quiser desvendar
Convidamos para vir.


Abandonei um amor
Para salvar um maior
Isso me causou a dor
Mas hoje estamos melhor
Nossa história verdadeira
Pra você conto inteira
Até que a saiba de cor."
Péricles Anarcos

quinta-feira, 24 de junho de 2010

"Aqui. A Verdade na Terra Moral"

Uma Iguana, uma Porca, um Carrapato e uma Cega empregada que trabalha de madugada. Um Corvo, um Rato, um bichinho exótico pequenino e uma Fonte. Espetáculo teatral grotesco repleto de moralidades que oculta um grande mistério.
Dramaturgia de Péricles Anarcos. Concepção cênica dos Grupos Fúria, Flor e Espinho..
Elenco com Anderson Lima, Katiuska Azambuja, Luis Cláudio Diashueda, Péricles Anarcos e Tatiane Queiroz.
Dias 29 e 30 de junho e 01 de julho, às 20h no Teatro Glauce Rocha. Entrada Franca.

domingo, 13 de junho de 2010

Período de Simone Weil


Lá vem coração
Lá vem olhos (que enxergam?)
Lá vem pernas
Lá vem rins (ou rim!)
Lá vem uma pelezinha frágil...
Lá vem litros e litros de
Sangue, circulando... circulando... sempre,
Há há há há há há há...
Lá vem uma pessoa!